Catedral Santa Cruz

Criada no dia:23/09/1973 pelo Bispo Dom Osório Willibaldo Stoffel.

CNPJ: 03.843.307/0002-23

Rua D. Pedro II, 1811 – Caixa Postal, 249 – Bairro Santa Cruz
CEP: 78.710-600 – Rondonópolis-MT.

DADOS DO PÁROCO

Pároco: Pe José Eder Ribeiro Lima

Data de Nascimento: 09/07/1981

Naturalidade: Rondonópolis-MT

Data de Ordenação Presbiteral: 08/07/2006

Data de Posse: 11/12/2016

CONTATOS

Secretárias: Almira de Oliveira Mesquita 

Erica de Jesus Lima

Financeiro: Elisnei Saldanha Guimarões

Telefone da secretaria: (66) 3421-6503

Celular: 98437 8424

E-mails: catedralstacruzroo@gmail.com 

Facebook.com/pascomcadetralsantacruz 

HORÁRIOS DE MISSAS NA PARÓQUIA

Terças e Quintas as 19:00 horas
Quartas e Sextas as 06:00 horas
Sábado as 07:30 horas
Domingo as 7:30 e 19:00 horas

HORÁRIOS DE MISSAS NAS COMUNIDADES

*Santíssima Trindade:

1°Sexta – Feira do mês as 19:00 horas
3°Sábado as 19:00 horas

* Nossa Sra Auxiliadora:
1°Quarta – Feira do mês as 19:00 horas
3°Domingo do mês as 9:30 horas

* Santos Reis
2° Sexta – Feira do mês as 19:00 horas
4°Sábado do mês as 19:00 horas

* São Lucas
4° Quarta-feira do mês as 19:00 horas
2° Domingo as 9:30 horas

* Divino Espírito Santo
3° Quarta – Feira do mês as 19:00 horas
1° Domingo as 9:30 horas

*Santa Luzia
1°sábado do mês as 19:00 horas
3° sexta as 19:00 horas

QUANTIDADE DE COMUNIDADES (7)

  Localidade  Comunidade/Padroeiro(a)
01-Jardim Santa Clara/ Vila Duarte Santos Reis.
02-Jardim Vera Cruz São Lucas.
03-Monte Líbano. Santíssima Trindade.
04-Pindorama Santa Luzia
05-Santa Cruz – Catedral. Santa Cruz.
06 – Vila Planato Divino Espírito Santo
07-Residencial Quitéria  Nossa Senhora Auxiliadora
   

HISTÓRICO

Esta Paróquia foi criada em Rondonópolis, em 1973, momento em que a cidade se despontava no cenário nacional como  a “Princesa do Leste” devido à alta produção do arroz e à chegada de novos migrantes na região. Nos anos 70, de acordo com dados do IBGE, Rondonópolis contava com uma população de 63.098 moradores, sendo 26.053 na zona urbana e 37.045 na zona rural (TESORO:1993,177), e se apresentava como lugar  promissor e polo de atração  para as pessoas. Porém, para que esta Paróquia se tornasse realidade muitos esforços foram necessários. Desde a transferência da sede da Prelazia para Rondonópolis, o Bispo Dom Vunibaldo Godehardo Tauller, almejava a construção de uma igreja na região onde hoje se localiza o bairro Santa Cruz. Antes mesmo da criação da paróquia, Dom Vunibaldo Talleur, no ano de 1968, havia criado a primeira comunidade  da região: a comunidade de Santa Luzia, na qual muitos fiéis se reuniam para orações, terços e novenas.

No primeiro momento  com muita dificuldade, foi construído um salão para atendimento à  comunidade. Mais tarde,  com a ajuda dos fiéis e principalmente da Alemanha,  foi construída a Igreja. Então é possível afirmar que foi basicamente graças ao trabalho realizado pelo primeiro Bispo prelado de Rondonópolis, D. Vunibaldo Tauller na década de 1960, e da sua comunidade que esta Igreja se tornou uma realidade para Rondonópolis. Contudo,  o mérito de seu término deve ser destinado a Dom Osório Wilibaldo Stoffel, sucessor de Dom Vunibaldo, no ano de 1971.

Oficialmente, no dia 23 de setembro de 1973 Dom Osório Stoffel assinou o decreto criando a Igreja da Santa Cruz, que se desmembrou da Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Situada na rua D. Pedro II passou a ter a denominação de  Santa Cruz, e seu território se estendeu além dos limites da zona urbana.

Mesmo com a inauguração da igreja, as dificuldades continuaram, pois naquele tempo esta  não contava com um padre que pudesse estar presente em todas as celebrações. Muitas vezes quem realizava parte das celebrações era o próprio Bispo.  Nesta época a paróquia não tinha condições de desenvolver diversos tipos de trabalhos, pode-se dizer que estes estavam concentrados em catequese, batismo, celebrações e casamentos, realizados apenas pelo Bispo Dom Osório. A presença e atuação de Religiosas e Religiosos, na área da Paróquia Santa Cruz merecem ser lembradas. Desde 1963 os Irmãos Lassalistas atenderam a população rondonopolitana com especial destaque aos moradores nas proximidades da Escola e também colaboravam nas atividades da Paróquia. Irmão Arno iniciou em 1974 um grupo de vocacionados, com adolescentes e jovens que participavam da equipe de Liturgia da paróquia Santa Cruz.

Sempre atento à realidade e acompanhando o crescimento da cidade de Rondonópolis, Dom Osório buscou organizar um trabalho vocacional; para tanto convidou,  em 1974,  quatro Padres Diocesanos da região sul do país para assumirem a evangelização do povo. Foram eles: Pe. Miesceslau Kuduavicz, Pe. Dionísio Kuduavicz, Pe. Miguel Patzik e Pe. Líbero Rosso. Ficou designado como pároco da paróquia Santa Cruz em 23 de maio de 1974 o Pe. Miesceslau Kuduavicz, fato  que  contribuiu para o crescimento da paróquia. Nesse período, vários trabalhos foram iniciados, inclusive o movimento de Cursilhos de Cristandade e Movimento Familiar Cristão,  o que possibilitou a formação de muitas lideranças na paróquia.

Com a chegada destes padres iniciou também o atendimento na zona rural. Entre as áreas rurais que receberam atendimento da paróquia Santa Cruz uma merece destaque, a Gleba Cascata, pois na década de 70 com o crescimento da cidade varias pessoas buscavam se estabelecer em um pedaço de terra.

Em 1969 as Irmãs Catequistas iniciaram a construção da Sede Provincial, no terreno doado por Dom Vunibaldo, cuja obra foi inaugurada no dia 04 de outubro do mesmo ano. Suas portas foram abertas à comunidade, embrião da paróquia, e para a Prelazia, que não dispunha de instalações minimamente essenciais. Desde o início, as irmãs contribuíram com as comunidades, na catequese, liturgia e nos diversos grupos. Irmã Julieta Hoepers coordenava a Escola da Vila Birigui e assim marcava presença ativa na comunidade, auxiliando o Padre Mieceslau. As enormes dificuldades materiais eram superadas com a mútua ajuda e partilha fraterna.  Os Padres Mieceslau, Dionísio, Miguel, Dom Osório e Frei Patrício durante muito tempo tomaram suas refeições com as Irmãs. As orações matinais e celebração Eucarística diária, presididas por Dom Osório, aconteciam alternadamente  na sede provincial e  no La Salle (Capela). Como não havia espaço na Diocese a sala de Coordenação Pastoral  foi instalada na Casa das Irmãs, onde Frei Patrício e Irmã Anita coordenavam as atividades pastorais.

Com a finalidade de organizar e implantar o serviço de enfermagem na Santa Casa de Misericórdia, Dom Osório conseguiu a vinda das Filhas da Caridade de São Vicente de Paula. Irmã Idalina dos Santos, chegou no fim do ano 1973 e, de acordo com registros do Caderno de Crônicas das Irmãs Catequistas, treinou inicialmente um grupo de moças para atenderem na Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis. No dia 17 de fevereiro de 1974 chegou a Irmã Francisca Morais.  Como não havia sido providenciada residência, as Irmãs da Sede Provincial as acolheram. A atuação destas Irmãs foi um avanço tanto na formação de profissionais da saúde, como no trabalho direto como enfermeiras cônscias do  compromisso com a vida. Depois, devido o aumento do grupo,  foi construída pelas Irmãs Catequistas uma residência  ao lado da sede provincial, inaugurada dia 15 de março de 1976, para abrigar estas Irmãs. Além do trabalho na saúde algumas Irmãs se dedicaram ao trabalho pastoral na comunidade. Deixaram Rondonópolis em 1983 para animar outras frentes missionárias.

Em 1977 as Irmãs do Sagrado Coração de Jesus, com Sede Provincial no Rio de Janeiro, chegaram para somar forças na missão. Uma comunidade atendeu a Paróquia de Itiquira e outra residia numa pequena casa nos fundos da Santa Cruz. Uma Irmã se dedicou mais aos serviços de organização dos documentos da Prelazia e outras às comunidades. A Irmã Maria do Rosário contribuiu muito com o Padre Dionísio na  caminhada das CEBs.

Os freis franciscanos também contribuíram nos trabalhos da paróquia e mesmo com a obra inacabada, no dia 02 de março de 1982,foram iniciadas as atividades do Seminário São Francisco, com 29 formandos, tendo como orientadores os Freis Donato Sehn e Arcides Favaretto. A presença dos jovens formandos e a colaboração dos Freis, quando da ausência dos padres, foi significativa na vida paroquial.

No ano de 1982 o Pe. Miesceslau deixou a paróquia Santa Cruz para seguir em trabalho missionário na Diocese da Bahia, assumindo em seu lugar o Pe. Dionísio Kuduavicz. O padre Dionísio durante o tempo que esteve em Rondonópolis, trabalhou junto aos mais necessitados, especialmente os posseiros da Gleba Cascata, que enfrentavam sérios conflitos com a polícia  e fazendeiros, na luta pela terra. Devido ao seu envolvimento na luta pela posse da terra,  passou a receber constantes ameaças o que o motivou, em novembro de 1982,  a pedir  transferência para a Diocese do Amazonas onde passou a atuar como missionário.

De 1982 a 1983 a igreja ficou sem atendimento de padre e novamente os trabalhos foram assumidos  por Dom. Osório e pelos leigos. No ano de 1984 foi ordenado o Pe. Líbio Faustino Franco e no dia 08 de setembro de 1984 assumiu como pároco da paróquia Santa Cruz. No entanto, dois anos depois  pediu seu afastamento, ficando a paróquia novamente sem um padre. Pe. Líbio deixou o ministério, dentro das normas da igreja constituiu uma família, foi um leigo exemplar, catequistas e animador de comunidade, Veio a falecer no dia 08 de novembro de 1984.

Mesmo com a ausência de padres, os trabalhos na sede e na zona rural  da Paróquia não cessavam, possibilitando que a igreja continuasse em  pleno funcionamento. Um dos trabalhos dos leigos que muito ajudou para o crescimento da paróquia foram as festas, pois proporcionavam recursos financeiros para a melhoria do espaço. Como nessa época a estrutura da igreja era precária, inúmeras vezes as cozinheiras tiveram que cozinhar embaixo das árvores, pois não havia uma cozinha construída. Desta forma a Paróquia Santa Cruz foi crescendo, e criando varias comunidades, como a comunidade de Santa Luzia que havia sido criada no final da década de sessenta, pelo bispo D. Vunibaldo.

Com o crescimento da cidade de Rondonópolis e as novas condições da Prelazia de Rondonópolis esta, no ano de 1986, pelo anúncio do Papa João Paulo II, no dia 13 de julho de 1986 foi elevada à condição de Diocese e a Paróquia Santa Cruz foi escolhida, devido à sua localização geográfica e proximidade com o CEPA – Centro Pastoral Administrativo, para ser a Catedral da Diocese.

Com a oficialização da paróquia Santa Cruz como Catedral,  o Bispo Dom Osório obteve ajuda dos franciscanos com Frei Olimar e Frei Donato Sehn até 1989, quando Frei Atamil Vicente Campos da OFM, no dia 21de junho de 1989 foi nomeado e permaneceu como pároco da Catedral Santa Cruz até o ano de 1993.

No dia 17 de fevereiro de1994, Pe. Gunther Adolf Franz Lendbradl foi nomeado pároco da Catedral Santa Cruz e, ao tomar posse, observou que algumas mudanças deveriam ser realizadas, dentre elas a criação de mais comunidades e a reforma do templo igreja, considerando sua importância como Catedral. O templo paroquial passou, então por várias mudanças na sua forma arquitetônica, de acordo com a proposta apresentada pelo Pe. Gunther e aprovada pela comunidade.

Várias  mudanças foram feitas na fachada da Igreja: foi construída uma cruz bem elevada, de concreto, voltada para o leste na frente da qual foi fixada  uma imagem  de Jesus, esculpida na madeira e na parte frontal e laterais da Igreja foram pintados  vários painéis. Durante muito tempo Irmã Irma Demarchi acompanhou e auxiliou  Padre Gunther nas tarefas pastorais e administrativas da Paróquia.

No ano de 1998 foram criadas várias comunidades: Comunidade São Lucas, localizada no jardim Vera Cruz, Comunidade Divino Espírito Santo na Vila Planalto, Comunidade São Mateus no jardim Adriana, e desta forma a paróquia passou a contar com sete comunidades, incluindo a própria Santa Cruz: Jardim Santa Clara/ Vila Duarte, Jardim Vera Cruz, Monte Líbano, Pindorama, Santa Cruz – Catedral, Vila Adriana, Vila Planalto, Residencial Quitéria.

Após profícuo pastoreio como pároco e vigário geral, no dia 25 de junho de 2014, dia em que completou 75 anos de idade, apresentou ao Bispo Dom Juventino Kestering sua carta de renúncia como pároco da Catedral. Para substitui-lo no dia 06 de julho de 2014 Dom Juventino Kestering nomeou Pe. João Henrique Corrêa como Administrador Paroquial da Paróquia Catedral Santa Cruz.

Com a morte de Pe. João Paulo Nolli, no dia 08 de outubro de 2016, Dom Juventino Kestering realizou no dia 28 de outubro de 2016, após ouvir o Conselho de Presbíteros, a transferência de Pe. João Henrique Correa, da Paróquia da Catedral, transferindo-o como Pároco da Paróquia São José Esposo e nomeia no mesmo dia 28 de outubro, Pe. José Éder Ribeiro Lima, transferido da Paroquia Bom Pastor, como pároco da Catedral Santa Cruz. Pe. José Éder Ribeiro assumiu como Pároco da Catedral durante a celebração da eucaristia presidida por Dom Juventino Kestering, às 19:00 horas no recinto da Catedral, no dia 11 de dezembro de 2016, com presença das lideranças de todas as comunidades da paróquia Catedral e comitiva da Paróquia Bom Pastor que vieram entregar Pe. José para a Catedral.

No dia 04 e 05 de fevereiro na Comunidade Matriz Santa Cruz realizou-se a  assembleia paroquial. Iniciou com analise dos trabalhos realizados no ano de 2016 e definição das metas para o ano de 2017. Teve como resultado “melhor planejamento observando as necessidades paroquiais em vários âmbitos”.  No dia 19 de fevereiro de 2017 celebrou-se o jubileu de ouro da comunidade Santa Luzia com missa de ação de graças. Foi momento de confraternização e união da comunidade.

Passo significativo: Café da manhã com Cristo oferecido para as pessoas hospedadas na Casa de Apoio, e que são familiares de pessoas que estão internadas no regional. Isso se realiza em todas segunda e quinta-feira. É para a paróquia uma experiência de acolhimento social e espiritual. Acolhendo o estrangeiro, em parceria com a “Casa de Apoio Amor em Ação” foi realizada a doação do aluguel da casa de apoio e três cestas básicas mensais no decorrer do ano de 2017. Tem como resultados, o acolhimento no âmbito estrutural de pessoas que não tem condições financeiras de se manterem na cidade enquanto seus familiares estão internados no regional.

Neste ano também motivou-se para a proibição da venda de bebidas alcoólicas nas festas da paróquia Santa Cruz. A proposta foi  pauta proposta na assembleia paroquial de 2017, com participação da Matriz e comunidades, discutida nos dois CPP seguintes e votada no CPP do dia 01 de abril de 2017. Na avaliação contatou-se melhor desenvolvimento no âmbito festivo e meio de evangelização.

No dia 08 de julho de 2017 realizou-se na comunidade matriz Santa Cruz a festa junina paróquia Santa Cruz com comidas típicas, dança e quadrilha. Tinha como finalidade arrecadar recursos para investimentos em projetos estruturais da paróquia Santa Cruz, como melhorias no pátio e projeto do corpo de bombeiros

Celebração do padroeiro da Paróquia Santa Cruz – festa religiosa com visita da cruz nas comunidades da paróquia, novena de exaltação da santa cruz e missa do padroeiro no decorrer do mês de setembro de 2017 na comunidade Matriz Santa Cruz. Foi visível o aprofundamento espiritual do mistério da santa cruz, provocando uma vivência mais profunda na vida de Cristo. Já no dia 17 de setembro de 2017 na paróquia Santa Cruz realizou-se a festa social com momento festivo com almoço. Foi um momento de confraternização entre comunidades e obtenção de lucros para as necessidades da paróquia.

Nos dias 16 a 18 de junho de 2017 realizou-se o “Acampamento pais e filhos” na fazenda Nossa Senhora da Guia através de evangelização kerigmatica para famílias com pregações, momentos de oração, partilhas. Sobressaiu a possibilidade de perdão e restruturação de famílias, proporcionando uma melhora de vida no âmbito familiar.

No dia 04 de novembro de 2017 promoveu-se o evento “show de prêmios Catedral” com quermesse festiva reunindo as comunidades da Paróquia Santa Cruz. Tinha como objetivo arrecadar recursos para investimentos em projetos estruturais da paróquia santa cruz, como melhorias no pátio e projeto do corpo de bombeiros.

Como iniciativa válida destacas a “iniciação do curso Bíblico Paróquia Santa Cruz”, realizado, a terça-feira, uma vez por semana estudos bíblicos, na comunidade Nossa Senhora Auxiliadora. Tem como meta o aprofundamento no conhecimento da sagrada escritura possibilitando assim a ação do aprendizado no dia a dia, melhorando assim a vida comunitária, missionário e espiritual dos participantes.

O projeto “missão de casa em casa” que consiste em visita do padre em cada família das comunidades. As comunidades Divino Espírito Santo, São Lucas e parte dos Santos já foram atendidas. Realiza-se no decorrer do ano de 2017. Como meta o conhecimento mais profundo da realidade das famílias de nossa paróquia, possibilitando um atendimento mais eficaz no âmbito espiritual e pastoral.

O retiro de crisma com evangelização kerigmatica para os jovens que recebem o sacramento do crisma, realizou-se com pregações, momentos de oração, partilhas.. Aconteceu nos dias 21 e 22 de outubro de 2017 na fazenda da Botuverá. Foram dias de aprofundamento intelectual e espiritual possibilitando a preparação para o sacramento do crisma.

Como um projeto social realiza-se a distribuição de cestas básicas e roupas para famílias carentes no território da paróquia. Isso se realizou no decorrer do ano de 2017. A distribuição é realizada nas casas das famílias cadastradas, havendo também atendimento na comunidade matriz toda segunda-feira a tarde, fazendo a doação de roupas e calçados para as pessoas que necessitam. Como resultado: ação que proporciona uma melhora na vida das famílias atendidas.

A festa social e religiosa comunidade Santa Luzia realizou-se com diversas atividades como almoço festivo no dia 10 de dezembro e celebração da missa do padroeiro e missa no dia 13 de dezembro. Caracterizou-se como momento festivo e espiritual que proporciona uma vivencia em comunidade mais profunda. Do mesmo modo no dia 22 de outubro de 2017 realizou-se a festa social e religiosa comunidade São Lucas, com missa no dia de São Lucas, 18 de outubro e almoço festivo como momento festivo e espiritual que proporciona vivencia em e comunidade mais profunda.

A festa social e religiosa da comunidade Santos Reis realizou-se com almoço festivo e celebração da missa do padroeiro no dia 06 de janeiro e almoço no dia 22 de janeiro de 2017. Momento festivo e espiritual que proporciona uma vivencia em comunidade mais profunda.

A festa social e religiosa comunidade do Divino Espírito Santo, com missa no dia 03 de junho de 2017 e almoço festivo no dia 04 de junho como momento festivo e espiritual que proporciona vivencia em comunidade mais profunda evento: festa social e religiosa comunidade Divino Espirito Santo. Momento festivo e espiritual que proporciona uma vivencia em comunidade mais profunda

Festa social e religiosa comunidade Nossa Senhora Auxiliadora com missa no dia 24 de maio de 2017 almoço festivo e celebração da missa do padroeiro. Festa social e religiosa comunidade são Mateus com almoço festivo e celebração da missa do padroeiro no dia 21 de outubro e missa no dia 22 de outubro como momento festivo e espiritual para a comunidade.

Em comunhão com a igreja diocesana e em sintonia com as Diretrizes Pastorais e o Projeto Diocesano de Pastoral 2017-2020, a Paróquia Santa Cruz, planejou, desenvolveu e avaliou sua caminhada eclesial, considerando e assumindo também as cinco urgências pastorais: 1 – Igreja em estado permanente de missão – Missões Populares; 2 – Igreja: comunidade de comunidades; 3 – Igreja: casa de iniciação á vida cristã; 4 – Vida Plena para todos; 5 – Bíblia nas mãos do povo.

Na perspectiva do fortalecimento da comunidade eclesial como espaço decisório e de comunhão participativa, o ano de 2018 for marcado pela realização de duas assembleias paroquiais envolvendo a participação de suas todas as comunidades com suas pastorais, movimentos e serviços. A primeira, realizada nos dias 3 e 4 de fevereiro, contou com a participação das oito comunidades: Santa Cruz, Santos Reis, São Lucas, Divino Espírito Santo, Santa Luzia, Nossa Senhora Auxiliadora, Santíssima Trindade e São Mateus, quando, à luz da palavra de Deus e dos Documentos da Igreja, das perspectivas do protagonismo dos leigos e leigas neste Ano do Laícato, o pároco Pe. José Eder assessorou e ajudou a assembleia a refletir sobre as cinco urgências do projeto diocesano, dentro da realidade paroquial, e a discutir, em trabalhos de grupos, as formas e ações conjuntas para implementá-Ias. A segunda Assembleia Paroquial de Pastoral, já sem a presença da comunidade São Mateus, que passou a pertencer à paróquia São João Basco, foi realizada no dia 24 de novembro, com as principais finalidades de avaliar as ações realizadas, pensar e propor ações pastorais necessárias e possíveis para o ano de 2019.

Considerando o ano de 2018, podemos destacar entre tantas outras ações e metas alcançadas no projeto pastoral da paróquia Santa Cruz: 1 – O fortalecimento da comunhão eclesial, fomentando uma igreja comunidade de comunidades e em estado permanente de missão: as experiências de participação conjunta e articulada nas e entre as comunidades, entre as pastorais e movimentos, sobretudo, na realização Projeto das Missões Populares, com participação na formação, no retiro e nas visitas realizadas de casa em casa nas comunidades Santos Reis, Nossa Senhora Auxiliadora, Santa Luzia e Divino Espírito Santo; Festa Junina da catedral realizada com o envolvimento de todas as comunidades e com a partilha do resultado financeiro; Festa do Patrono Santa Cruz, 14 de setembro, com peregrinação da cruz em visita de uma semana a todas as comunidades, teve inicio já no dia 15 de julho; o CPP e os CPCs também tiveram papel relevantes no fortalecimento das comunidades e da comunhão eclesial, como espaços de escuta, diálogo e decisões colegiadas. 2 – O projeto “Bíblia nas Mãos do Povo” foi assumido pelas comunidades, nos grupos Fé e Vida, com o estudo do subsídio oferecido pela diocese, contudo é preciso avançar na setorização das comunidades para que mais famílias sejam alcançadas, acolhidas e evangelizadas. 3 – Na perspectiva do projeto Vida Plena para Todos, foi criada a equipe de coordenação para a reestruturação da Pastoral Social, numa proposta de compromisso com os mais pobres e necessitados, e envolvendo a participação solidária de toda a comunidade eclesial. Alguns passos importantes foram realizados como: Encontros de formação para a pastoral social nas comunidades;

A 1ª Corrida Solidária pela Paz, tendo como lema: “Em Cristo somos todos irmãos” foi realizada com êxito, no dia 7 de setembro, e teve como objetivo fortalecer e divulgar o trabalho da pastoral social e arrecadar alimentos aos necessitados, além de incentivar as pessoas de todas as idades à prática de exercícios físicos; O projeto Café com Cristo, também envolvendo o compromisso de outras pastorais e ministérios, oferece o café da manhã, todas as segundas e quintas-feiras, aos pacientes e seus acompanhantes do Hospital Regional “Irmã Elza Giovanella”. O café servido pela equipe de pastoral das 5h30 às 7h30, além de constituir um espaço e um movimento de acolhida, inclusive das pessoas em situação de rua que por ali passam, é também um espaço de evangelização tanto pelo gesto solidário, pela escuta, como pelas musicas religiosas do hinário tocadas e cantadas durante o café. 3 _ À luz da urgência, Igreja: casa de iniciação á vida cristã, com vista ao itinerário para a formação de discípulos missionários, (doc. 107 CNBB), a Catequese paroquial inovou na metodologia dos encontros catequéticos e do retiro para os crismandos; introduziu a celebração dos ritos dos sacramentos; articulou e envolveu outras pastorais e ministérios na participação do processo de formação dos catequizandos, como a pastoral da liturgia, pastoral familiar, pastoral do batismo e do dízimo, buscando desperta-los para que, na gratuidade, liberdade e alegria, sintam o desejo participar da comunidade eclesial e se engajar na vida e na missão da Igreja. Ainda na linha dessa mesma urgência, a paróquia realizou no dia 17 de junho, em Fatima de São Lourenço, o Retiro Pais e Filhos; Participou e se envolveu nas atividades da Semana da Família, realizada de 12 a 19 de agosto, com o tema “Vós sois o sal da terra e a luz do mundo” (Mt 5,13), por meio da celebração de abertura da semana, nas missas da manhã e da noite, dia 12, na Catedral e celebrações de nível paroquial nos dias 13, 14 e 16; no dia 15/08 sediou e participou da organização do Simpósio da Família, na Catedral, e no dia 19, da l1ªCaminhada das Famílias, com a concentração às 16h30 na Praça bom Jesus de Vila Operária, seguida da caminhada e missa de encerramento na Paróquia São José Esposo. Promoveu e realizou o 1º Acampamento Sênior da Paróquia Santa Cruz, nos dias 10 a 14 de outubro, com o tema: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações para o qual “Pe. José Eder garantiu 40 vagas para a paróquia, sendo 5 vagas por comunidade, sendo as demais sorteadas com base nos pré-inscritos, tanto dessa, quanto de outras paróquias. Realizou, ainda, nos dias 17 e 18 de novembro, o retiro para os jovens. Outros acontecimentos celebrativos importantes, da comunhão eclesial, de dimensão missionária/ evangelizadora ocorridos na Catedral e demais comunidades da paróquia foram: ordenação presbiteral do diácono Marcelo Vinicius de Oliveira, dia 18 de agosto, na catedral; festas dos padroeiros das comunidades; Missa de posse da nova coordenação diocesana de CEBs, celebrada por D. Juventino, dia 28 de outubro.

Finalmente, merece registro, a participação da comunidade paroquial Santa Cruz na ordenação diaconal do seminarista Erivelton Almeida Postil, no dia 31 de agosto, às 19h, na Paróquia São José Esposo e, posteriormente, da sua ordenação presbiteral, na dia 30 de novembro de 2018, às 19h30, na Paróquia Bom Pastor. Erivelton fez estágio pastoral na paróquia Santa Cruz e realizou com esmero, sabedoria e discernimento sua missão, contagiando a todos com sua alegria, simplicidade e disponibilidade ao serviço de Deus.

Atualizado no dia 27 de Abril de  2021