Paróquia Bom Pastor

Criada no dia 29/07/1973 por Dom Wilibaldo Stoffel

CNPJ: 03.843.307/0004-95

Endereço: R. Francisco Félix, 520 – Vila Bom Pastor, Rondonópolis – MT, 78700-420 

DADOS DO PÁROCO

Pároco: Pe. José Silva Moreira

Data de Nascimento: 18/02/1978

Naturalidade: Idepêndencia – CE

Data de Ordenação: 24/04/2005

Data de Posse: 11/12/2016

CONTATOS

Secretária: Maria Auxiliadora

Financeiro: Aurea Nunes de Almeida Correia 

Telefone: (66) 3423-5883

Celular: (66) 9 9639-0644

E-mail:  pbompastorroo@terra.com.br     

Site: www.bompastorroo@terra.com.br

                                                               

   HORÁRIO DE CELEBRAÇÕES 

Toda sexta-feira missa às 19h00min
Nos domingos missa às 07h00min, às 09h30min e às 18h30m

COMUNIDADES (4) 

BAIRRO COMUNIDADE
Bom Pastor e Centro Padroeira Sagrada Família
Jambalaia, Jardim Brasília e Pioneiro I São João Bosco
Jardim Assunção e Pioneiro II Padroeira Nossa Senhora de Assunção
Vila Cardoso e Vila Poroxó Padroeira Santa Terezinha do Menino Jesus

HISTÓRICO

Dom Osório Wilibaldo Stoffel, por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica, Bispo Prelado de Rondonópolis – Paz e Benção de Deus a todos que virem este Decreto: Considerando o bem do Povo de Deus desta Prelazia, e tendo em vista que a Igreja do Bom Pastor, sita Rua Francisco Felix, nesta cidade de Rondonópolis, que até agora funcionou como sede e centro paroquial provisório, tem todas as condições e requisitos de ser Paróquia autônoma e plena jure” decretamos e fazemos saber o seguinte:

– Foi criada com data de 29 de julho de 1973 a Paróquia do Bom Pastor de Rondonópolis, desmembrada da Paróquia Sagrado Coração de Jesus de Rondonópolis, na sua área urbana e suburbana, e na área rural da Paróquia de São Pedro Apóstolo da Pedra Preta, com mais abaixo se dirá;
– O Orago da Paróquia será a invocação de Nosso Senhor Jesus Cristo na figura do Bom Pastor;
– O território desta Paróquia será o seguinte:
a) Partindo do Rio. Arareau segue o traçado da Rua Dom Pedro II até seu entroncamento com a Avenida Bandeirante, pela qual segue até a Rua Pedro Guimarães, por esta até a Avenida João Ponce de Arruda e por esta e seu prolongamento até o Córrego Canivete, desce por este até o Rio. Arareau, o qual atravessando sobe por ele até a barra do Córrego Lageadinho, deste ponto segue em linha reta até o entroncamento da Estrada de Três Pontes com a atual estrada de Guiratinga, pela qual volta rumo a Rondonópolis até o entroncamento com o prolongamento da Rua Francisco Felix, daí segue pelo traçado desta até o Rib. Arareau, pelo qual desce até o ponto inicial;
b) Como parte rural fica anexado ao território da Paróquia Bom Pastor e desmembrado da Paróquia de São Pedro Apóstolo da Pedra Preta toda área compreendida entre os Rios Tadarimana, Rio Vermelho, Rib. Coqueau ou Areia e a Divisa do Município de Rondonópolis com o Município de Guiratinga.
– À Igreja do Bom Pastor entregamos todos os direitos de Igreja Matriz de Paróquia, inclusive Pia Batismal;
– Os fiéis católicos residentes no território da Paróquia, como acima veio descrito, lembre-se que a graça da fé e do batismo os congregou num só e mesmo Povo de Deus. Porfiarão, portanto em vivenciar esta graça, permanecendo coesos na fé, na celebração do culto da Palavra de Deus e da Eucaristia e demais sacramentos, praticando a caridade e mútuo auxilio. Estarão unidos com o que preside à Comunidade, que é o Vigário nomeado pelo Bispo, a quem auxiliarão em todas as tarefas pastorais, bem como em ultimar a construção da matriz e da casa Paroquial e das capelas e lugares de culto. Ao mesmo tempo proverão ao Vigário com digna e honesta subsistência, conforme o costume.
– O presente Decreto entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas todas as disposições em contrário. O Vigário nomeado fará a competente transcrição deste Decreto no Livro do Tombo da nova Paróquia, ao qual se ainda não existir dará abertura, bem como iniciará ou continuará todos os demais livros paroquiais, como sejam do Batismo, da Crisma, e de Casamentos. Os livros já abertos ou preenchidos ficam por este Decreto considerados como livros de registro da mesma Paróquia do Bom Pastor.
– Dada e passada na sede desta Prelazia de Rondonópolis a 28 de julho de 1973, com sinal e selo da mesma.

Adendo – Retificação Dos Limites: com a ereção da Paróquia Nossa Senhora da Aparecida, a 25 de março de 1979, ficaram reduzidos os limites da Paróquia do Bom Pastor, como segue:
1- Na área urbana da mesma permanecem à margem direita do Córrego Arareau, os mesmos limites e bairros descritos no Doc. de ereção da Paróquia Bom Pastor;
2- Do lado esquerdo do mesmo córrego fica pertencendo ao Bom Pastor somente o Loteamento e bairro denominado Vila Cardoso;
3- A área rural continua a mesma do doc. de ereção. Cúria Diocesana de Rondonópolis, 21 de agosto de 1987.
O “Tombo”, como é chamado o livro que registra a história de qualquer paróquia, começou a ser escrito na nossa Paróquia do Bom Pastor em 01/01/72. A Paróquia, porém como capelania da Matriz do Sagrado Coração de Jesus, já existia desde o finzinho de 1966. De 1967 em diante, embora continuasse capelania teve características de paróquia independente, pois, os primeiros registros de batizados, casamentos, etc. datam desse ano.
Morava eu capelão, junto com D. Vunibaldo, então o bispo da Prelazia e Pe. Lothar da paróquia de Vila Operária, na casa do primeiro, onde hoje é o Seminário Diocesano. Numa bicicleta que herdara do Pe. Lothar – que também andara nela mais de ano antes de ganhar seu primeiro jipe- passei a atender a capelania que tinha como sede o Educandário Santo Antonio nesse ano já em funcionamento. O Educandário pertencia à Prelazia e era dirigida pelas Irmãs da Ordem Terceiras Franciscana- hoje – Irmãs da Ação Pastoral (FAP). Numa sala de aula rezávamos a missa durante a semana e aos domingos no pátio do Educandário. Nesse tempo a capela como Educandário era chamado de Santo Antonio. Foi, porém logo em 1968 que começou a ser oficialmente denominada, como hoje Capela do Bom Pastor. Nesse tempo tudo era cerrado, quando não matagal. A favela-verdadeiramente favela rodeava o Educandário e estendia-se pela hoje Comunidade Dom Bosco. Era região paupérrima. Rapidamente D. Vunibaldo nos construiu a casa paroquial, onde hoje resido. Ela era também escritório e sala de reuniões da capelania.
Em 1968 iniciamos, com o auxílio dos católicos alemães, a construção do primeiro centro paroquial, mais tarde remodelado que passou a ser a sede da capelania, nele celebrando as Santas Missas também. Desde 1967 começamos o atendimento a zona rural, onde nesses anos havia mais pessoas do que na zona urbana. Era uma época da “febre” de derrubadas. Todo o longo da estrada de Guiratinga, muito precária, de terra, com pontinhas de madeira. Na área da capelania havia um maravilhoso “formigueiro” de famílias embrenhadas em estradinhas, trilheiros, matas… Foram tempos, até 74 de passar eu mais tempo na zona rural do que na cidade.
Foi tempo de uma grande ajuda de leigos, jovens e, sobretudo das Irmãs da FAP que sempre me acompanhavam nestas viagens, muitas vezes indo na frente a preparar o povo para a minha chegada. Quanta gente nas rezas! Nas missas! Quantos batizados! Casamentos! … Quanto cansaço quanta alegria! Gleba União, Rio Vermelho (na ponte velha) mais tarde Córrego Seco, Berigue (Tertu-Chico Mariano- Grotão) – Floresta, Pontal do Areia, Dona Inácia, São Francisco, Pedro Zenobilino, Pedro Donato, Bela Vista, Reta Mineira, São Judas, Serrinha, Cascata, São José da Lagoa, Temisso, Ildeu, Alagoano, Bonança, Santo Antonio, Primavera, Cruzeiro, Peroba, Sucuri, Bandeirante, Ponto Chique, Tavares, São José do Povo, Moreiral…. Povo hospitaleiro, religioso, amigo…. Muitos desses lugares desapareceram muitos dos seus moradores foram para outros lugares, de todos guardamos gratíssima recordação.
Entretanto a parte urbana da Capelania ia se desenvolvendo em torno do Centro Paroquial. Foi o tempo da CARITAS, com o seu atendimento à imensa multidão de necessitados, muitos dos quais vindo do interior, doentes, passaram a se hospedar em nossa “Enfermaria” como chamávamos a uns quartos para isso construído com o auxílio dos católicos alemães. Curso de formação para imensa quantidade de senhoras pobríssimas, aulas noturnas no Educandário para os mais desprotegidos, alfabetização e, sobretudo a FUNABEM (Fundação Nacional do Bem Estar do Menor) destinada a atender os filhos dessas famílias pobres que durante mais de 14 anos foi uma das obras mais caras do nosso coração, foram todas obras duma pastoral social para a qual tanto serviu e ainda serve o Centro Paroquial.
Eram tempos do início do MCC (Movimento de Cursilhos de Cristandade) que entrava vigorosamente e no qual nos engajamos dando e recebendo dele valiosa colaboração. Era o tempo d jipe sempre empoeirado, sempre deliciosamente lotado, sobretudo de crianças e adolescentes pois era tão fácil subir e descer dele. Foi tempo de grande mobilidade do Vigário. A sede era conduzida mais pelas irmãs e leigos. Foi uma fase pioneira da capelania.
Nesse tempo novamente com a ajuda dos católicos alemães iniciamos a construção da primeira igreja, ao lado do primeiro centro paroquial. Dado interessante dessa época, o recenseamento de 70 dava para a zona urbana da Capelania 7.000 habitantes e para a zona rural também sete mil (em 80 a zona urbana passou para mais de 15.000 e a zona rural algo abaixo de 7.000).
Ao começar o livro Tombo em 01 de janeiro de 1972, levado desde então dia por dia, já temos informações mais precisas, sobretudo melhor datadas. Em 1972, a primeira igreja estava em fase de acabamento. Menciona-se já o Conselho pastoral da Paróquia, prova do crescimento da consciência comunitária, efeito da Primeira Assembleia da Prelazia.
O Educandário já havia passado de propriedade da Prelazia, dirigido pelas Irmãs da FAP, para a propriedade e direção das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA). Menciona-se a chegada da Ir. Ângela que trabalhou conosco mais de 10 anos, em 02/72 e um mês depois empossada como a primeira ministra extraordinária da Eucaristia da nossa Paróquia (hoje são 8 leigos e uma irmã) . Celebra-se este ano o centenário das FMA com uma bela procissão de Nossa Senhora Auxiliadora desde o centro da cidade à Paróquia.
A Irmã Iraci (M. Eugênia) da FAP, morando com suas co-irmãs na Vila Aurora, continuava ajudando com outras colegas à Paróquia na zona rural. Aliás, passaram vários anos morando em São José do Povo.
Acontecia o primeiro Cursilho da Cristandade da Prelazia em Fátima em agosto de 1972 e encontros da juventude em Campo Grande e Cuiabá. Os grupos de casais impulsionados pelos cursilhistas se tornavam mais numerosos e concorridos.
Afinal em 1973- 29/07, já com D. Osório bispo, é oficialmente criada a nossa paróquia, que então deixa de ser capelania e o Padre. são oficialmente nomeado pároco efetivo em 16/08 de 1073. A Ave Maria pela então rádio BRANIF, hoje Amorim Juventude é mencionada pela primeira vez de julho de 1973. Faz, pois 13 anos que este programa vem ao ar diariamente. Nossa gratidão a quantos tem nela trabalhado. É a rádio que sempre nos abriu este espaço.
Começa a divisão da Paróquia em Comunidades com a Vila Aurora que teve a sua primeira Santa Missa em uma barraca de palha, em 05 de janeiro de 1974. A Ir. Rute (FMA) foi a vigária durante todo o tempo que essa Comunidade foi nossa, com o nome de São Miguel. Depois de 1978 foi entregue à recém-criada Paróquia Nossa Senhora da Aparecida.
A primeira ultréia dos cursilhistas da zona rural é mencionada em 1972 (14 anos de perseverança).
Joaquim, nosso atual teólogo, chega à paróquia em 13 de outubro de 1974 para iniciar seus estudos primários. Vinha do sertãozinho, município de Poxoréo, além do Pontal do Areia onde o Pe. Miguel o descobrira.
São mencionados os natais e páscoas (semana santa) de aqueles tempos, nos mesmos moldes dos de hoje, com a mesma grande afluência do povo e das confissões que sempre tem sido um dos pontos altos assim no Natal como na Semana Santa na nossa Paróquia.
Em 1975 – as Irmãs FMA se decidem em caráter experimental engajar-se mais diretamente na Ação Pastoral da Paróquia, o que deu muito impulso aos nossos nascentes centros comunitários.
Nasce a Comunidade Assunção no Cascalhinho com sua primeira Missa, numa barraca de palha em 15 de agosto de 1976, a Ir. Joaquina (FMA), assumindo a coordenação. Cada um desses Centros Comunitários tenha missa uma vez ao mês um domingo à tarde, como nos outros domingos à tarde, também era atendidas comunidades da zona rural – nesse tempo não havia ainda a missa das 18 horas na Matriz.
No natal de 1976 menciona-se a primeira missa irradiada pela Rádio Branif (10 anos de presença trabalhando nesse programa dominical). Em 02/1977 nasce o primeiro carnaval diferente que, já em seu décimo ano vem tendo grande sucesso evangelizador entre a juventude. Em fevereiro de 1977 é realizada a primeira Assembleia Geral da Paróquia, cresce o senso de co-responsabilidade.
Em 1978 de abril a junho, realizam-se as Santas Missões pregadas pelos Padres Redentoristas de Goiânia com grande repercussão na vida espiritual da Paróquia. É delas que procede ao rápido crescimento das nossas Comunidades eclesial de base com sua divisão em setores. Terminam com o erguimento do cruzeiro que até o ano passado (1985) dominou a esquina da nossa paróquia.
Em 1978 começam os conselhos pastorais das nossas Comunidades de São Miguel e Assunção e em seguida as Assembleias delas.
Em 30/10/78 foi feita a interessante experiência de contar o número de pessoas participantes das missas dos domingos dando 956 pessoas na missa das 7 horas, 604 na missa das 08h30min horas e 508 na missa das 18: horas. Vê-se aí já mencionada a missa das 18 horas, que, aliás, começou sendo às 17 horas. Vê-se também que era ainda menos concorrida que as outras. O que com o tempo se inverteu. Era ainda também a primeira igreja, menor que a atual. Nesse domingo, domingo comum do ano, o total de fiéis foi, pois de 2.068.
Em 31/01/1978 celebra-se a primeira Missa na nova Comunidade de D. Bosco pois o primeiro barraco de palha, construído em mutirão se levantou para as Santas Missões, em abril desse ano.
Em 17/06/1979, celebrou-se a primeira missa no novo Centro Comunitário de São João Batista, tendo pouco antes entregado o Centro Comunitário São Miguel a Nossa Senhora da Aparecida. Ir. Rute passou a coordenar está.
Em 04/08/1979 nasce outra Comunidade, Santa Terezinha na Vila Cardoso. Houve pouco depois uma memorável Santa Missa com um mar de chuva dentro do barraco, com grande espírito esportivo de todos os participantes.
Em 1972 foi construída a primeira igreja em São José do Povo. Em 85 foi feita uma grande ampliação, pois o povo tornou-se bastante numeroso. Nasce a fraternidade cristã dos doentes – no primeiro domingo de outubro de 1980 foi dada a primeira bênção aos doentes.
Em janeiro de 1981 em Campo Grande faz sua profissão religiosa a primeira moça da nossa paróquia, Ivone Goulart, na Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora, seguida logo por Maria Rodrigues na Congregação de Jesus Adolescente.
Inicia-se a missa pelas almas na 1ª segunda feira de cada mês em 1981. Em 1980 inicia-se a ampliação e reforma da Igreja Matriz. Em 1982 falece entre nós Ir. Orvalinda, que durante anos prestou serviços na Comunidade D. Bosco, deixando saudades!
Em 1982 D. Osório declara Nossa Senhora Auxiliadora a 2ª Padroeira da Paróquia Bom Pastor em homenagem às Filhas de Maria auxiliadora que aqui prestam grandes serviços. Em 31 de dezembro de 1983 tivemos a grata satisfação de ver o atual Pe. Líbio ser ordenado Diácono em nossa Igreja e, em 06 de janeiro de 1985 o Pe. Anísio ser empossado Vigário da nossa paróquia, o que veio nos facilitar muito os trabalhos. Durante todos esses anos a Paróquia caminhou com a Prelazia, assumindo os planos pastorais, crescendo assim na pastoral da juventude e nas CEBs.
Padres que já estiveram como párocos;
Padre Eriovaldo Couto Queiros, assumiu como pároco no dia 04 de agosto de 1998, no dia 04 de Março de 2007 o Pe. Eriovaldo foi transferido para a Paróquia São Cristovam em Campo Verde. Padre José Éder Ribeiro Lima assumiu como pároco no dia 04 de Março de 2007, permanecendo até o dia 11 de dezembro de 2016 quando foi transferido para Catedral Santa Cruz e passou a posse da paróquia para o atual pároco José Silva Moreira que assumiu a  posse da paróquia no dia 11 de Dezembro de 2016.
Paróquia Bom Pastor –Rondonópolis.

No ano de 2017, Ano Mariano ocorreram na Paróquia Bom Pastor diversos eventos de Fé e Espiritualidade motivando para o reabastecimento da Fé e a ação de graças pelo dom da vida, trazendo-nos a alegria de celebrar juntos a fé e comunhão com Deus e com os irmãos. Alguns eventos que marcaram o ano que sucedeu.
• Em fevereiro aconteceu a assembleia paroquial de pastoral, iniciando no sábado das 14h às 18h, retornando no domingo 07h, com a Santa Missa até às 11 h, onde se reuniram animadores de comunidades, coordenadores de pastoral, movimentos e serviços de nossa paróquia, com o intuito de traçar metas/planejamentos/ações para o ano e discutir formas de como reorganizar o que já estava em atividade na paroquia.
• Ainda no mesmo mês, no dia 10 de fevereiro a paróquia, recebeu da Paróquia São José Esposo, a visita da Imagem Peregrina da Sagrada Família, recepcionando-a com a Santa Missa às 19h. Um momento lindo e abençoado para os paroquianos e demais fieis presentes.
• No dia 1 de fevereiro, domingo, foi celebrada a Missa de Abertura do Ano Mariano, em duas celebrações, 7h e as 18:30h, abençoando as famílias com a Imagem da Sagrada Família. No dia seguinte, 13 foi-se em procissão/carreata até a Paróquia São Domingo Sávio onde foi repassada a Imagem para a mesma, às 18h, com a celebração da Santa Missa.
• No mês de março celebrou-se no dia 01, às 19h, a Quarta Feira de Cinzas, com a presença dos fiéis, abrindo o tempo Quaresmal. No dia 06 inicia-se a Caminhada Penitencial, às 05 horas, saindo em procissão da Matriz Paroquial para uma das comunidades, sendo que cada segunda-feira seguiu para uma comunidade, com uma ótima participação dos fieis que entenderam o verdadeiro sentido do que foi proposto.
Em abril, no dia 02, aconteceu a Romaria dos Mártires, com a concentração no CENCON, as 15:30h, seguindo em direção ao Parque das Águas (Cais) e encerrando com a Santa Missa.
• Celebração, no dia 09 de abril, do Domingo de Ramos, nos dois horários, as 07h e as 18:30. Nos dias 13 a 15 de abril celebrou-se o Tríduo Pascal, com a Santa Missa da Ceia do Senhor e Lava Pés, a Celebração da Paixão e Morte de Nosso Senhor e a celebração da Vigília Pascal e no domingo 16, celebrou-se a Santa Missa do Domingo de Pascoa, nos dois horários – 07h e às 18:30h.
• Iniciou-se, ainda no mês de A. No mês de abril, a novena em honra a Jesus o Bom Pastor, do dia 28 até o dia 06 de maio, na Matriz Paroquial, encerrando, no dia 07, com a Festa do Padroeiro Jesus o Bom Pastor com churrasco, organizado pelos membros das pastorais, movimentos e serviços da Paroquia.
• Celebrou, do dia 31/05 a 02/06 o Tríduo de Pentecostes.
• Em junho, foi organizado pela catequese o Chá Bingo, evento destinado à arrecadação para o Retiro Acampamento de Crisma, que aconteceu no período de 29/09 a 01/10.
• No mês de julho, dia 08, aconteceu o Arraia Bom Pastor, organizado pelo Grupo de Oração Amigos pela Fé, que tem por objetivo arrecadação de fundos para o Acampamento Juvenil Paroquial, com comidas típicas, bebidas e muita alegria. No dia 29, celebrou-se o 44° Aniversario de Criação da Paróquia Bom Pastor.
• Em agosto celebrou-se a Semana da Família, iniciando no dia 13, com diversas atividades, encerrando no domingo, 20, com a Caminhada das Famílias e a Santa Missa celebrada no CENCON – Paróquia Bom Pastor.
• No mês de outubro aconteceu o 9° Acampamento Sênior Paroquial, dos dias 11 a 15 na Fazenda Divina Providência. No mesmo mês aconteceu, com grande louvor, a Ordenação Presbiteral do Diácono Arthur Moreira Brito foi ordenado padre no dia 27 outubro, as 19:15h, na Matriz Paroquial.
• Em novembro, dia 15, foi realizada a Assembleia Paroquial de Pastoral, com início as 07h com a Santa Missa. Ainda em novembro, dias 17 e 18, nas Comunidades Matriz e Santa Terezinha, respectivamente, a Missa com Sacramento do Crisma presidida pelo bispo dom Juventino, às 19h.
• Dezembro foi marcado com a Vigília do Natal, celebrada às 20h no domingo e a Santa Missa do Natal do Senhor, na segunda-feira. No dia 26 deu-se início a Folia de Reis, visitando todas as comunidades de nossa Paróquia.

Paróquia Bom Pastor – 2018

Acontecimentos Paroquiais (2018)
No ano de dois mil e dezoito foram realizados diversos projetos e trabalhos dentro da paróquia. Um desses projetos foi a realização de grupos de estudo onde pessoas se reuniram em família para conversar sobre Igreja em estado permanente e bíblia na mão do povo, percebendo a interação e maior aproveitamento do tema estudado.
Realizou-se também o show de prêmios no dia dezesseis de fevereiro de dois mil e dezoito no salão paroquial (CENCON), com o sorteio eletrônico de diversos prêmios, como carro 0km, uma moto 0km, dentre outros.
Em seguida, deu-se continuidade com a programação aprovada em assembleia como a formação de novos líderes, a Festa do Padroeiro (22 de abril), a valorização do leigo através do fortalecimento das pastorais, movimentos e serviços.
Aconteceu também a reformulação das Santas Missões Populares, o inicio de novas turmas de Estudo Bíblico e valorização do jovem que estão a serviço da Igreja e da Família. Outro fato importante foi a Vigília de Pentecostes, ocorrida no dia Dezenove de Maio às 19 horas na comunidade Santa Terezinha.
No dia 31 de maio, durante todo o dia, foram confeccionados os tapetes para Corpus Christi em frente à paróquia e nas comunidades, motivando as famílias a organizarem altares em frentes de suas casas.
Além disso, tivemos também retiros e acampamentos com acolhimento e inserção dos participantes nas comunidades, movimentos, pastorais e serviços.
Foi criado, também, neste ano, o Grupo de Oração Jovem Shekinah, na comunidade Nossa Senhora do Amparo, dando mais ênfase no servir a Igreja e comunhão com Cristo e os irmãos, com diversos eventos realizados pelo grupo.
No dia trinta de novembro às 19:30 horas, aconteceu a Ordenação Presbiteral do até então diácono Erivelton de Almeida Postil, presidida pelo nosso bispo Dom Juventino, juntamente com diversos padres da Diocese, um momento impar para nossa Paroquia e Diocese. Logo após a ordenação seguimos para o salão paroquial, onde foi servido um coquetel.

Em fevereiro de 2019 o seminário propedêutico São João Maria Vianey foi transferido da paróquia São Domingos Sávio para a paróquia Bom Pastor, sendo nomeado padre José Moreira como o formador responsável.

FARMÁCIA DA PARTILHA

Com a presença da coordenação da Associação União pela Vida (INIVIDA), de Dom Juventino Kestering,  junto dos padres  José Moreira,  José Éder e representantes da UNIC, às 8:30 horas do dia 23 de outubro de 2020, com o rito da bênção esse espaço de oferta de medicamentos foi oficialmente inaugurado para atender a população pobre do município. A iniciativa é uma parceria entre a Associação União pela Vida, Diocese de Rondonópolis-Guiratinga, Paróquia Bom Pastor e UNIC. O espaço situa-se na Avenida Marechal Dutra, n° 2.390, no Centro de Pastoral da Paróquia Bom Pastor.Segundo a equipe responsável, Ada Maria Maciel, Cleusa Manera “a farmácia atenderá exclusivamente famílias carentes e os remédios são fruto de doações de medicamentos que estão dentro do prazo de validade, mas que não são mais usados pelos pacientes que adquiriram os medicamentos”. Esclareceu-se ainda que a farmácia será acompanhada por um profissional que realiza a triagem. Orienta-se que os remédios serão entregues somente mediante apresentação de receita médica. Já para Ana Paula Lucena, diretora da UNIC afirma que “a parceria se deve uma vez que a universidade tem curso de Farmácia e tem como projeto disponibilizar alunos como estagiários-aprendizes, bem como desenvolver ações sociais da universidade”.“É um trabalho simples, mas que vai dar certo e pessoas carentes serão beneficiadas, afirma Cleusa Manera”. A Farmácia da Partilha ficará aberta de segunda à sexta-feira, das 7h às 13h, a partir do dia 26 de outubro.

Atualizado no dia 27/05/2021