Dom Maurício crisma 92 jovens e adultos na paróquia Sagrado Coração

Em uma celebração de duas horas de duração o bispo diocesano de Rondonópolis-Guiratinga, do Maurício da Silva Jardim, crismou, na noite do último sábado, 04/11, 92 jovens e adultos, oriundos das 16 comunidades da Paróquia Franciscana Sagrado Coração de Jesus de Rondonópolis. A Missa de Crisma foi concelebrada pelo vigário paroquial, Frei Neuzimar Campos e Silva.

Segundo a Igreja Católica, a Crisma ou Confirmação é um sacramento em que o fiel recebe, através da imposição das mãos do bispo, a unção com o óleo do Crisma e invocação da força do Espírito Santo; e consiste na Confirmação do Batismo, a partir da chamada “idade da razão” do fiel.

INICIAÇÃO – Na homilia, Dom Maurício lembrou aos crismandos, que o ato deste sábado não foi nenhuma formatura, mas a conclusão do processo de “iniciação à vida cristã”, que se dá pelo conjunto de três sacramentos: batismo, eucaristia e crisma. Na prático o início da caminhada pela missão de todo batizado que é a busca da santidade. “Vocês decidiram seguir Cristo, os valores do Evangelho, os valores de Cristo… A meta de cada um deve ser a santidade. É uma vocação para todos: ser santos”, disse Dom Maurício, relacionando à liturgia do final de semana que celebrou todos os Santos; e citando a primeira leitura, do Livro do Apocalipse de São João, que aponta os santos como “os que vieram da grande tribulação… É uma luta, uma batalha de cada dia”, alertou.

AMADOS PARA AMAR – Ele também convocou os jovens e adultos crismandos a levarem como primeira grande certeza e anúncio em suas vidas, o Amor de Deus por cada um. “Amados para amar. Não será por medo que a gente vai à Missa todos os domingos; mas por amor. É resposta de amor. Deus só sabe amar, Deus não veio julgar, condenar. Nosso primeiro anúncio deve ser sempre o amor de Deus. Somos amados, não porque a gente é bom, ou faz tudo certo, mas é gratuidade, é bondade, é misericórdia. Ele olha para nós com muito amor, ele aposta na gente. Vocês são criaturas, filhos e filhas, muito amados de Deus; caminhem com essa certeza: Deus vos ama”.

COMUNIDADE DE FÉ – Dom Maurício também enfatizou que a iniciação a vida cristã, obrigatoriamente, insere cada pessoa em uma comunidade. “A gente não vive isso de forma isolada, sozinho, mas é uma experiência que a gente tem que ter de viver em comunidade, se encontrar com o diferente; a gente cresce na comunidade; faz a experiência de um Deus que é comunidade: Pai, Filho e Espírito Santo”, catequizou.

O bispo lembrou que as comunidades de origem de cada um estão de portas e braços abertos para acolhe-los e esperando seu engajamento, de acordo com os dons próprios. “Não sumam da comunidade, não despareçam; a comunidade precisa desse rosto jovem, desse sangue jovem. As pastorais, os movimentos, os serviços, grupo de jovens; vocês são bem-vindos à comunidade, do jeito de vocês, fazendo leitura, cantando, sendo catequista, enfim, buscando a vocação de cada um. A Crisma faz de vocês, cada vez mais pertencentes a comunidade cristã”, pregou.

O ESPÍRITO PARÁCLITO – Dom Maurício fechou o sermão, lembrando que a Crisma confere aqueles que a recebem, “uma força extraordinária” que é a graça do Espírito Santo: “Vocês não estão mais sozinhos; na hora de tomarem uma decisão, fazerem uma escolha, podem contar com a ajuda do Espírito Santo”, catequizou o Bispo, lembrando a promessa de Jesus de que voltaria ao Pai, mas enviaria um advogado (paráclito). “Nós temos um advogado gratuito. É o Espírito Santo, o defensor, o paráclito. O Espírito Santo é uma força grande na nossa vida. Ele fala no silêncio, quando a gente abre o coração para escutar; quando a gente reza e pede o Espírito Santo. Vocês vão ficar cheios do Espírito Santo e todos os dons”.

O bispo destacou que é pelo Espírito Santo que cada um sente a alegria de ser cristão mesmo nas dificuldades da pobreza, aflição, fome, sede, perseguição. “Mesmo nas tribulações não deixem que roubem a alegria de vocês. Um dos sinais de uma pessoa que segue Jesus é a alegria. O sorriso é um sinal do Espírito Santo em nós. O Papa Francisco nos pediu para a gente não ter cara de vinagre. Não deixemos que nos roubem a alegria do Evangelho, de ser de Jesus, de ser da comunidade, de ser católicos, de comungar, de servir os mais pobres”.

Dom Maurício lembrou ainda aos crismandos que só o Espírito Santo pode tirar o medo e dar a força para levar o projeto de salvação de Deus a todos os lugares: “A alegria de testemunhar lá na escola, com os amigos, no mundo e na família; sermos discípulos. O Espírito Santo vem no silêncio, da Paz; ele vem acalmar os corações. Ansiedade, medo, angústia, tristeza, dúvida, vêm na nossa vida. Peçam os dons do Espírito Santo”, ensinou.

NILTON MENDONÇA

PASCOM DIOCESANA