Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do universo

CRISTO REI

O fio condutor das leituras deste domingo é o exercício do poder a serviço da vida. O poder eterno do Filho do Homem e de Jesus serve a vida, faz o povo viver em paz e revela o Reino de Deus. No começo do Evangelho de Marcos, Jesus pregava dizendo: “o Reino de Deus está próximo!” (Mc1,15). O povo conhecia bem o significado da expressão “Reino de Deus”. Ela resumia toda a Aliança. No Evangelho de hoje, diante de Pilatos, Jesus assumiu sua realeza. Mas que tipo de rei é Jesus?

Naquela época, havia muito sofrimento, causado por uma violência estúpida, vinda da parte dos governantes, dos reis, das lideranças do próprio povo e do império romano. O império era o mundo. Jesus disse com clareza que seu Reino “não é deste mundo”, ou seja, não podemos confundir a proposta de Jesus com qualquer proposta política em nossa sociedade.

O Reino de Deus não pode ser fruto de uma revolução violenta ou de regimes nacionalistas messiânicos, por mais que eles se apresentem assim. O Reino não vai surgir com perturbações armadas ou com cataclismos apocalípticos. Jesus ensina que o Reino já está no meio de nós. O Reino já está presente na humanidade (Lc 17,21). Deus já está reinando. Onde? Na própria manifestação de Jesus. Em seus gestos, suas opções e suas palavras, Ele nos revelou o Reino de Deus. Ao longo das leituras dos domingos deste ano, conhecemos um pouco mais Jesus.

Sabemos que Ele foi um rei bem diferente das imagens dos que conhecemos, que foi, antes de tudo, um rei pobre. Não possuiu exércitos nem qualquer tipo de força militar. Em sua ação, combateu os males causados por uma sociedade injusta e desigual. Mesmo desarmado, mas com a força do Pai a seu lado, combateu a fome, as doenças, a ignorância, a solidão, os preconceitos, a violência, a injustiça, o medo, o sofrimento, o pecado e a morte. Veio trazer a bênção da vida que tínhamos perdido por causa do pecado. Nesta festa de Cristo Rei, queremos ser bons e fiéis súditos de seu Reino. Queremos renovar o compromisso de seguir na estrada de Jesus. Compete a nós, hoje, combater o bom combate em defesa da vida, guardar a fé e não perder a esperança. Nessa luta pelo Reino, descobriremos a presença de Deus no meio de nós.


Pe. Marcos Antônio Gonçalves dos Santos

Vigário Paróquia São José Esposo